Doações Dedutíveis do IR - Incentivos Fiscais

Abordamos os seguintes incentivos fiscais:

I. Doação ao Instituto Latino Americano de Ensino - ILAE, que possui o título de OSCIP;
II. Doação/Patrocínio de Projeto Cultural por pessoa jurídica (art. 18 da Lei Rouanet) e
III. Doação/Patrocínio de Projeto Cultural por pessoa física (art. 18 da Lei Rouanet)

 

 

I. Doações/patrocínios a projetos do ILAE - Lei 9.249/95

 


Organização da Sociedade Civil de Interesse Puclico - OSCIP - Ministério da JustiçaAs pessoas jurídicas poderão deduzir da apuração do lucro tributável, o valor das doações feitas ao ILAE, pois a entidade detém o título de OSCIP (Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público) o que, por lei1, permite esse benefício fiscal. Isso reflete um abatimento direto na base de cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)2.

Nesse caso, a doação não é deduzida do IRPJ a pagar, mas da base de cálculo do IRPJ e da CSLL. Caso o ILAE não fosse OSCIP ou entidade de utilidade pública, essa doação não seria considerada dedutível e o doador deveria estornar eventual dedução feita, para calcular o IRPJ/CSLL devido.

 


Para usufruir esse benefício fiscal, é necessário ser pessoa jurídica que apure imposto sobre a renda pelo lucro real. Pessoas físicas podem fazer doações, porém não há benefício fiscal. E o limite beneficiado com a dedução é de 2% do lucro operacional do doador, conforme exemplos abaixo.

Exemplo 1: uma empresa que possua um lucro operacional de R$ 394.558.000,00 poderá doar até o valor de R$ 7.891.160,00, deduzindo todo o valor doado da base de cálculo do IRPJ e da CSLL, o que equivale a 34% do valor doado:



Exemplo 2: outra empresa que possua um lucro operacional de R$ 1.057.129,71, poderá fazer uma doação de R$ 21.142,59:



Para isso, a pessoa jurídica deverá seguir o seguinte procedimento:

i. Fazer a doação mediante crédito em conta corrente bancária3
diretamente em nome do ILAE, cujos dados podem ser solicitados na secretaria, e guardar o comprovante de depósito por sete anos4.

ii. Manter em arquivo, à disposição da fiscalização, por sete anos, declaração assinada pelo ILAE, em que este se compromete a aplicar integralmente os recursos recebidos na realização de seus objetivos sociais, com identificação da pessoa física responsável pelo seu cumprimento, e a não distribuir lucros, bonificações ou vantagens a dirigentes, mantenedores ou associados, sob nenhuma forma ou pretexto5.

Reiteramos que esta espécie de benefício fiscal (deduzir uma doação do lucro tributável) só pode ser aproveitado por PESSOA JURÍDICA. Pessoa física que fizer doações ao ILAE não poderá realizar qualquer abatimento no cálculo do seu Imposto sobre a Renda.

 

II. Doações/Patrocínio de pessoas jurídicas a Projeto Cultural (art. 18 da Lei Rouanet)



As pessoas jurídicas que fizerem patrocínio6 ou doação7 em favor de projeto cultural que tenha sido aprovado pelo Ministério da Cultura com os benefícios do art. 18 da Lei nº 8.313/91 (“Lei Rouanet”) poderão deduzir o valor da doação ou patrocínio do imposto sobre a renda devido, no período de apuração (trimestral ou anual) em que foi feita a doação. Lei de Incentivo à Cultura - Ministério da Cultura - Lei rouanet

O imposto deve ser apurado na sistemática de Lucro Real e o limite é de 4% do Imposto sobre a Renda, calculado sob a alíquota de 15%.

Esclarecemos que as empresas pagam imposto sobre a renda sob a alíquota de 15% sobre toda a parcela de lucro. E há uma alíquota adicional de 10% que incide sobre a parcela do lucro real, presumido ou arbitrado que exceder R$ 20.000,00 por mês. O incentivo fiscal aplica-se apenas à parcela do imposto sobre a renda calculado sob a alíquota de 15%, conforme exemplos abaixo.

Exemplo 1: uma empresa cujo lucro real seja de pouco mais de 330 milhões de reais, poderá destinar R$ 2 milhões como doação/patrocínio a projeto cultural aprovado no art. 18 da Lei Rouanet, abatendo integralmente do IRPJ devido:

Doações/Patrocínios - art. 18 Rouanet



Exemplo 2: uma empresa cujo lucro real seja de quase R$ 235 mil, poderá doar cerca de R$ 5 mil, para o mesmo projeto, também deduzindo integralmente do IRPJ devido:

Doações/Patrocínios - art. 18 Rouanet



O procedimento para aportar valores em favor de projeto cultural aprovado com base no art. 18 da Lei nº 8.313/91 é o seguinte:

i. Basta a pessoa jurídica doadora fazer a doação/patrocínio mediante crédito em conta corrente bancária8 específica para esse fim e

ii. Guardar o comprovante de depósito por sete anos9.

Caso a empresa faça não só doações/patrocínios a projetos culturais aprovados com base no art. 18 da Lei nº 8.313/91, mas também doações a outros projetos culturais da mesma lei ou da Lei do Audiovisual10, a soma de todas as doações/patrocínios deverá respeitar o limite global de 4% do IRPJ devido sob a alíquota de 15%, conforme previsto no art. 6º, II da Lei nº 9.532/97.

 


III. Doações/Patrocínio de pessoas físicas a Projeto Cultural (art. 18 da Lei Rouanet)

 



As pessoas físicas que fizerem patrocínio11 ou doação12 em favor de projeto cultural que tenha sido aprovado pelo Ministério da Cultura com os benefícios do art. 18 da Lei nº 8.313/91 (“Lei Rouanet”) poderão deduzir o valor da doação ou patrocínio do imposto sobre a renda devido, no período de apuração em que foi feita a doação/patrocínio.

O limite é de 6% do total do Imposto sobre a Renda devido, conforme previsto na Lei nº 8.313/91, de Incentivo à Cultura (“Lei Rouanet”).

O procedimento é simples:

i. a pessoa fazer a doação/patrocínio até o dia 31/12 de cada ano mediante crédito em conta corrente bancária13
aberta para o fim específico do Projeto e guardar, tanto o comprovante de depósito quanto o recibo fornecido por sete anos14.

ii. Ao preencher a Declaração de Imposto de Renda a ser entregue no ano seguinte ao da doação/patrocínio, utilizar a sistemática completa, preencher a ficha “pagamentos e doações efetuados” o código 41 (incentivo à cultura). Colocar no campo “nome do beneficiário”, o nome do beneficiário da doação; no campo “CNPJ” o nº do CNPJ do beneficiário; inserir no campo “valor pago” o valor da doação efetuada; e no campo “parcela não dedutível”, deixar sem preencher ou preencher com “0,00”.

Seguindo esse procedimento, não é necessário fazer mais nada, pois o próprio Programa da Declaração do IR faz automaticamente a dedução dos 6% do IR apurado, que poderá ser conferido na ficha “Cálculo do Imposto”, em “Resumo da Declaração”.

A dedução dos 6% do IR computa também, em soma, outras doações que a pessoa física tenha feito para outros projetos culturais da Lei Rouanet, da Lei do Audiovisual, para o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente, Fundo do Idoso e Incentivos ao Desporto, conforme previsto no art. 22 da Lei nº 9.532/97, combinada com art. 12, I a III da Lei nº 9.250/95.

 

 

 

 

 

 


1) Lei nº 9.249/95, art. 13, §2º
2) Art. 13, caput
3) Art. 13, III, ‘a’
4) O fisco tem o direito de examinar os documentos, em alguns casos, no prazo de 5 anos contados do dia 1º de janeiro do ano seguinte ao da entrega da Declaração. Logo, uma doação feita, por exemplo, em 2004, será declarada em 2005, e a contagem dos 5 anos é feita a partir de 1/01/2006, extinguindo-se o prazo em 1º/1/2011. Esta contagem tem apoio no artigo 173 do Código Tributário Nacional.
5) Art. 13, III, ‘a’
5) Patrocínio é a transferência gratuita, em caráter definitivo, à pessoa física ou jurídica de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, de numerário para a realização de projetos culturais, com finalidade promocional e institucional de publicidade, e a cobertura de gastos ou a utilização de bens móveis ou imóveis do patrimônio do patrocinador, sem a transferência de domínio, para a realização de projetos culturais por pessoa física ou jurídica de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos (IN SRF nº 267/02, art. 18, II) 7
6) Doação é a transferência gratuita em caráter definitivo a pessoa física ou pessoa jurídica de natureza cultural, sem fins lucrativos, de numerário, bens ou serviços para a realização de projetos culturais, vedado o seu uso em publicidade para divulgação das atividades objeto do respectivo projeto cultural (IN SRF nº 267, art. 18, II)
8) Conforme previsto no art. 29 da Lei nº 8.313/91.
9) O fisco tem o direito de examinar os documentos, em alguns casos, no prazo de 5 anos contados do dia 1º de janeiro do ano seguinte ao da entrega da Declaração. Logo, uma doação feita, por exemplo, em 2004, será declarada em 2005, e a contagem dos 5 anos é feita a partir de 1/01/2006, extinguindo-se o prazo em 1º/1/2011. Esta contagem tem apoio no artigo 173 do Código Tributário Nacional.
10) Lei nº 8.685/93
11) Patrocínio é a transferência gratuita, em caráter definitivo, à pessoa física ou jurídica de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, de numerário para a realização de projetos culturais, com finalidade promocional e institucional de publicidade, e a cobertura de gastos ou a utilização de bens móveis ou imóveis do patrimônio do patrocinador, sem a transferência de domínio, para a realização de projetos culturais por pessoa física ou jurídica de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos (IN SRF nº 267/02, art. 18, II)
12) Doação é a transferência gratuita em caráter definitivo a pessoa física ou pessoa jurídica de natureza cultural, sem fins lucrativos, de numerário, bens ou serviços para a realização de projetos culturais, vedado o seu uso em publicidade para divulgação das atividades objeto do respectivo projeto cultural (IN SRF nº 267, art. 18, I)
13) Conforme previsto no art. 29 da Lei nº 8.313/91.
14) O fisco tem o direito de examinar os documentos, em alguns casos, no prazo de 5 anos contados do dia 1º de janeiro do ano seguinte ao da entrega da Declaração. Logo, uma doação feita, por exemplo, em 2004, será declarada em 2005, e a contagem dos 5 anos é feita a partir de 1/01/2006, extinguindo-se o prazo em 1º/1/2011. Esta contagem tem apoio no artigo 173 do Código Tributário Nacional.